Extrato Poético: Armando Freitas Filho

Corpo

Acrobata enredado
em clausura de pele
sem nenhuma ruptura
para onde me leva
sua estrutura?

Doce máquina
com engrenagem de músculos
suspiro e rangido
o  espaço devora
seu movimento
(braços e pernas
sem explosão)

Engenho de febre
sono e lembrança
que arma
e desarma minha morte
em armadura de treva.

Armando Freitas Filho in ‘Máquina de Escrever’ (Editora Nova Fronteira)

#32 Morangos Mofados

Título: Morangos Mofados

Autor: Caio Fernando Abreu

Primeira publicação: 1982

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Nova Fronteira

“E a cada dia ampliava-se na boca aquele gosto de morangos mofando, verde doentio guardado no fundo escuro de alguma gaveta.”

(mais…)

#29 Primeiras Estórias

Título: Primeiras Estórias

Autor: João Guimarães Rosa

Primeira Publicação: 1962

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Nova Fronteira

“Era uma velha, uma velhinha – de história, de estória – velhíssima, a inacreditável.”

(mais…)