Extrato Poético: Carlos Nejar

Assentada

Chega a esta casa
sem prazo ou contrato.
Faze de pousada
as salas e quartos.
Os nossos arreios
ninguém os desata
com ódio e receios.

O tempo não sobe
nas suas paredes;
secou como um frio
nos beirais da sede;
calou-se nos mapas,
na plácida aurora,
nos pensos retratos.

Entra nesta casa
que é tua e de todos,
há muito deixada
aberta aos assombros.

Entra nesta casa
tão vasta que é o mundo,
pequena aos enganos,
perdida, encontrada.
Os dias, os anos
são palmos de nada.

Carlos Nejar in ‘A Genealogia da Palavra (Antologia Pessoal)’ (Editora Iluminuras)

Extrato Poético: Alice Ruiz

do jeito que as coisas vão
até parecem felizes
comportando tanto impossível
nunca do jeito que são

coisas pelo contrário
pessoas perdem matizes
viram vultos sombras nadas
coisas quando serão?

Alice Ruiz in ‘Dois em Um’ (Editora Iluminuras)