Literafilia: Sobre Julgar Livro Pela Capa

Em uma cultura em que o recurso visual muitas vezes se sobressai ao conteúdo, a capa, enquanto embalagem do livro, tem uma importância crucial no processo editorial, servindo de guia do que será encontrado no interior de tal suporte ou constituindo seu principal meio de propaganda. Ela geralmente é construída tendo em vista a sedução dos leitores, podendo apresentar, além do título, nome do autor e indicação da editora, alguma referência sutil ou explícita ao escrito que protege. Esse elemento, todavia, não traduz completamente o conteúdo impresso, podendo gerar experiências frustrantes ou grandes mal-entendidos.

(mais…)

Anúncios

#82 O Matador

Título: O Matador

Autor: Patrícia Melo

Primeira publicação: 1995

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras

“Deus só pensa no homem quando tem que decidir como é que vai destruí-lo.”

(mais…)

Extrato Poético: Eucanaã Ferraz

Sob a Luz Feroz do Teu Rosto

Amar um leão usa-se pouco,
porque não pode afagá-lo
o nosso desejo de afagá-lo,
como tantas vezes cão ou gato
aceitam-nos a mão a deslizar
sobre seu pelo;
amar um leão não se devia,
agora que já não somos divinos,
quando a flauta que tudo
encantaria, gentes animais
pedras, nós a quebramos contra
a ventania; amar
um leão é só distância: tê-lo ao lado,
não poder beijá-lo, o deserto
que habita em torno dele;
era mais certo amar um barco,
era mais fácil amar um cavalo;
amar um leão é não poder amá-lo;
e nada que façamos adoça
o que nele nos ameaça se
amar um leão nos acontece:
à visão de nosso coração
ofertado, tudo nele se eriça,
seu desprezo cresce;
amar um leão, se nos matasse;
se nos matasse o leão que amamos
seria a dor maior, mais que esperada:
presas patas fúria cravadas em nossa carne;
mas o leão, que amamos,
não nos mata.

Eucanaã Ferraz in ‘Sentimental’ (Editora Companhia das Letras)

#78 Desmundo

Título: Desmundo

Autor: Ana Miranda

Primeira publicação: 1996

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras

Este mundo é um desterro e nós, estrangeiros.”

(mais…)

#74 A Teus Pés

Título: A Teus Pés

Autor: Ana Cristina Cesar

Primeira publicação: 1982

Modalidade: Poesia

Minha Edição: Editora Companhia das Letras (Selo Poesia de Bolso)

“Tarde aprendi
bom mesmo
é dar a alma como lavada.”

(mais…)

#54 Budapeste

Título: Budapeste

Autor: Chico Buarque

Primeira publicação: 2003

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras

“Naquele instante oco, com uma voz que não era a minha, lhe comuniquei: o autor do livro sou eu.”

(mais…)

#52 A Hora dos Ruminantes

Título: A Hora dos Ruminantes

Autor: José J. Veiga

Primeira publicação: 1966

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras

“Isso de mexer com quem tá quieto pode chamar tempestade.”

(mais…)

Extrato Poético: José Paulo Paes

morto
sem filho nem
árvore

livros só

enfim
a existência
feita essência:

José Paulo Paes in ‘Poesia Completa’ (Editora Companhia das Letras)

#42 O Centauro no Jardim

80183_ggTítulo: O Centauro no Jardim

Autor: Moacyr Scliar

Primeira publicação: 1980

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras (Selo Companhia de Bolso)

“Da cintura para baixo, sou um cavalo. Sou — meu pai nem sabe da existência desta entidade — um centauro. Centauro.”

(mais…)

#40 O Que É Isso, Companheiro?

Título: O Que É Isso, Companheiro?

Autor: Fernando Gabeira

Primeira publicação: 1979

Modalidade: Não Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras (Selo Companhia de Bolso)

“Meu Deus, sequestramos o embaixador dos Estados Unidos.”

(mais…)

Extrato Poético: Ana Cristina Cesar

Quartetos

Desdenho os teus passos
Retórica triste:
Sorrio na alma
De ti nada existe

Eu morro e remorro
Na vida que passa
Eu ouço teus passos
Compasso infernal

Nasci para a vida
De morte vivi
Mas tudo se acaba
Silêncio. Morri.

Ana Cristina Cesar in ‘Poética’ (Editora Companhia das Letras)

Extrato Poético: Waly Salomão

Câmara de Ecos

Cresci sob um teto sossegado,
meu sonho era um pequenino sonho meu.
Na ciência dos cuidados fui treinado.

Agora, entre meu ser e o ser alheio
a linha de fronteira se rompeu.

Waly Salomão in ‘Poesia Total’ (Editora Companhia das Letras)

#28 Agosto

Título: Agosto

Autor: Rubem Fonseca

Primeira Publicação: 1990

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras

“Afastou-se, com asco, do corpo sem vida sobre a cama ao sentir seu próprio corpo poluído pelas imundices expulsas da carne agônica do outro.”

(mais…)

Extrato Poético: Paulo Leminski

Poetas Velhos

Bom dia, poetas velhos.
Me deixem na boca
o gosto dos versos
mais fortes que não farei.

Dia vai vir que os saiba
tão bem que vos cite
como quem tê-los
um tanto feito também,
acredite.

Paulo Leminski in ‘Toda Poesia’ (Editora Companhia das Letras)

#24 Orfeu da Conceição

Título: Orfeu da Conceição

Autor: Vinicius de Moraes

Primeira Publicação: 1956

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras (Selo Companhia de Bolso)

“Só não morre no mundo a voz de Orfeu.”

(mais…)