Literafilia: Sobre Bibliotecas

3050206663_d3dd65b74f

A Biblioteca para muitos sempre representou um lugar chato, cheio de regras, silêncio e tédio, sendo comparada a uma prisão, com estantes no lugar das grades, até mesmo por aqueles que amam os livros. Ademais, este ambiente, às vezes tão esquecido, tem sim sua importância, atrelada a algumas vantagens e tesouros escondidos.

(mais…)

Anúncios

Dica – Curta

O ato de ler um livro em muito se assemelha ao de perceber o mundo de olhos fechados. A descrição dos autores são apenas um ponto de partida. Os ambientes, os personagens e as situações surgem mesmo é da nossa imaginação. O enredo de O Cego Estrangeiro (2000) tem como premissa estimular a mente para a ilustração do que é contado. Dirigido por Marcius Barbieri, o curta-metragem experimental se dá através de legendas em um fundo totalmente preto. Na tela, um narrador cego, de idioma estranho (na verdade inventado), apresenta a história encantadora de um casal envolvido com o universo da leitura. O filme acaba sendo construído pelos espectadores, em uma participação prazerosa e ativa, como se estivessem lendo um livro. A experiência tem como resultado uma interessante combinação do Cinema com a Literatura.

O filme pode ser assistido no site Porta Curtas.

#14 A Mentira

Título: A Mentira

Autor: Nelson Rodrigues

Primeira Publicação: 1953

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Companhia das Letras

“Lúcia é tudo pra mim, tudo!”

(mais…)

Literafilia: Sobre Dedicatórias

Minha relação com estes pequenos (ou grandes) textos, escritos geralmente na folha de rosto dos livros, sempre se deu de forma difícil. Desde que li meu primeiro livro, tive comigo que um livro não era feito para se escrever nada além do que já vinha escrito nele. Qualquer reflexão ou comentário deveria ser escrito em outro lugar. Entendia o valor afetivo das dedicatórias, mas não as queria nos livros. Por que não as escrever em papéis separados (como em cartões comemorativos) e depois as entregar dentro dos livros? Por que não simplesmente as proferir oralmente?

(mais…)

Dica – Curta

Uma dedicatória modifica um livro, o acrescenta uma nova história. Devo confessar que já a considerei uma forma de agressão às obras, mas hoje consigo ver o quão especial ela se torna junto as páginas a serem lidas. Um ótimo curta-metragem que descobri há alguns dias retrata bem a importância das dedicatórias. Em Dedicatórias (1997), curta-metragem de Eduardo Vaisman, a jovem viúva Carmen (interpretada pela atriz Zezé Polessa) coleciona dedicatórias de amor em livros que compra em um sebo próximo ao bar em que trabalha. Romântica e fã de Vinicius de Morais, a mulher não desconfia que sua história e relação com o dono do sebo e o seu patrão (vividos por Carlos Gregório e Elias Andreato, respectivamente) escondem muitos segredos e paixões, como as palavras por ela contadas nas dedicatórias que encontra.

O filme pode ser assistido no site Porta Curtas.

Dica – Curta

O enredo de O Nosso Livro (2005) é simples, mas o seu desenrolar mostra uma história repleta de delicadeza e sensibilidade. No curta-metragem, dirigido por Claudia Rabelo Lopes e Luciana Alcaraz, conhecemos o casal Roberto (vivido por Marcos Caruso) e Isabel (interpretada por Vera Holtz) que trocam bilhetes em livros numa biblioteca. Mesmo não se conhecendo, a relação dos dois acaba por se estreitar e amadurecer em meio as páginas dos livros velhos e as estantes empoeiradas. A poesia permeia toda a narrativa, com referência a diversos autores, como o mineiro Carlos Drummond de Andrade. Um conto interessante para os românticos e amantes da literatura.

O filme pode ser assistido no site Porta Curtas.