#66 Welcome to Copacabana & Outras Histórias

Título: Welcome to Copacabana & Outras Histórias

Autor: Edney Silvestre

Primeira publicação: 2016

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Record

Welcome ao bairro das mijonas, dos shows gratuitos com bandas de roqueiros idosos, das micheteras, dos ladrões de celulares, dos pivetes, dos desocupados, dos camelôs, dos mendigos, dos catadores, dos aposentados, das multidões diurnas pelas ruas formigantes, das viúvas e dos réveillons superlotados como o desta noite.”

O jornalista Edney Silvestre foi correspondente internacional da TV Globo e do jornal O Globo por pouco mais de uma década, ficando conhecido pela marcante cobertura dos atentados às torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York. Residente no Rio de Janeiro, ele tornou-se apresentador de programas voltados ao meio literário na Globo News, também realizando entrevistas com diversos autores para os veículos em que continuou vinculado. Multifacetado, ainda assinou o roteiro de alguns documentários e foi diretor de um curta-metragem. Sua intensa produção ficcional foi agraciada com o Prêmio Jabuti e continua angariando fieis leitores pela excelência artística unida ao exame despretensioso da natureza humana. Com Welcome to Copacabana & Outras Histórias o escritor estreia no gênero conto, demonstrando maestria no trato com a subjetividade de personagens bastante envolventes.

As vinte narrativas curtas que compõem o livro são dividas em três seções: “No Rio”, “Além do Rio” e “De volta ao Rio”. O autor enfoca a capital carioca de uma forma bastante particular, indo muito além do epíteto de “Cidade Maravilhosa”. Na obra, o famigerado bairro de Copacabana, por onde circulam turistas, prostitutas, crianças abandonadas, travestis, aposentados, donas de casa, ex-misses, ministros e operários, serve como um prisma para “fotografias” tiradas pelo autor em outras latitudes, como o próprio centro e subúrbio do Rio, além de Paris, Roma, Nova York e Jordânia, no Oriente Médio, alcançando as esferas do passado, do presente e do futuro. Entre moradores e frequentadores, a diversidade do coração da zona sul fluminense inspira a riqueza e a diversidade dos protagonistas criados por Silvestre, que se aproxima deles com olhar arguto, numa relação de cumplicidade, encantamento e consternação. Todavia, o conhecimento e as apurações sobre a vida ordinária advindas da carreira jornalística refletem na construção das figuras marginalizadas que tendem a tomar mais espaço no impresso, conciliando momentos de grande beleza e extrema miséria.

Toma destaque a história da viúva Regina, que curiosamente atravessa todo o volume, como uma espécie de fio condutor na viagem proposta pelo escritor. A partir do conto inicial, “Welcome to Copacabana”, passando pelo primeiro a ter como cenário uma cidade do exterior, “Não tocam mais Édith Piaf em Paris”, até o texto final, “Apenas uma mulher de negócios”, acompanhamos o caminho desta mulher que se vê obrigada pelos filhos a deixar o apartamento da família no Jardim Botânico e se mudar para um bem menor na Princesinha do Mar, local a seu ver irritante, principalmente na ocasião do réveillon. Nos seus dias de solidão e de adaptação ao novo bairro, ela conhece uma vizinha misteriosa e de aparência excêntrica, Olga, que lhe faz uma proposta inesperada. Atormentada pelas lembranças ao lado do marido e sofrendo as cobranças da passagem para a velhice, ela acaba se rebelando em busca de uma felicidade possível, realizando um sonho de viagem e tornando-se bem sucedida em suas decisões, redescobrindo o lado bom daquele lugar à primeira vista tão confuso e barulhento.

O sufocamento e o sentimento de não pertencimento a um lugar ou a uma situação tornam-se características comuns a todos os personagens principais das narrativas, que ainda trazem como elemento-chave o confronto com dilemas éticos e morais. São temas recorrentes o saudosismo, a perda, a separação, a mudança e o fracasso.

Meu conto preferido da seleção se chama “Ben que olhava o trem”, que mostra a realidade dolorida de um menino de rua com auxílio do fantástico. O pequeno, abusado pelo pai e abandonado pela mãe na estação Central do Brasil, descobre que tem o dom da cura através do toque. Ademais, a delicadeza na descrição dos acontecimentos e sensações vividas pelo garotinho de seis anos é, sem dúvida, o ponto alto da narrativa. Outro textos dignos de nota são “Me tirem daqui”, centrado em uma mulher que expurga o mal de seu duro cotidiano numa região assolada pela guerra ao cometer um crime, e o distópico “Zak”, narrado por um robô destruidor em um amanhã ao mesmo tempo absurdo e extremamente possível.

Edney Silvestre conseguiu elaborar um conjunto sólido de textos permeado pela tensão do olhar para si e para o mundo, tratando de origens e fronteiras sem grandes malabarismos de linguagem, jogando com o dito e o não dito. Trata-se de uma verdadeira pérola da recente literatura brasileira.

Conversa com Edney Silvestre sobre o processo de escrita da obra no Blog da Editora Record.

___________________________________________________________

Referências Utilizadas:

SILVESTRE, E. Welcome to Copacabana & outras histórias. Rio de Janeiro: Record, 2016.
ISBN: 9788501107466

____________________________________________________________

Filmoteca: Copacabana (2001). Filme dirigido por Carla Camurati, com Marco Nanini, Joana Fomm, Laura Cardoso, Míriam Pires, Tonico Pereira e Ana Beatriz Nogueira.

Indico este filme que muito dialoga com a principal narrativa da coletânea de Edney Silvestre. No enredo, o fotógrafo Alberto (grande interpretação por Marco Nanini), às vésperas de completar noventa anos de idade, recorda diversos momentos de sua vida em Copacabana enquanto seus amigos preparam uma festa surpresa em sua homenagem. O longa caracteriza um interessante contraponto entre a história e a modernidade do bairro a partir da memória afetiva do velho protagonista, também retratando toda a sua diversidade desde a abertura, mostrando imagens de prostitutas, vendedores ambulantes, turistas, travestis e idosos percorrendo o famoso calçadão de pedras portuguesas, passando pelos prédios e lojas da Avenida Atlântica, na frente do Hotel Copacabana Palace, etc.

Anúncios
Deixe um comentário

4 Comentários

  1. Carlos

     /  26 de junho de 2016

    Ótimo texto. Parabéns

    Resposta
  2. Nossa!! Muito boa essa descrição! Admito que não conhecia o livro, mas pretendo colocar ele na minha lista de leituras!!

    Resposta

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: