#12 Meu Pé de Laranja Lima

Título: Meu Pé de Laranja Lima

Autor: José Mauro de Vasconcelos

Primeira Publicação: 1968

Modalidade: Ficção

Minha Edição: Editora Melhoramentos

“Encoste seu ouvido aqui no meu tronco que você escuta meu coração bater.”

Esta incrível e comovente obra do carioca José Mauro de Vasconcelos certamente marcou a vida de muitas pessoas. A história do menino Zezé e sua descoberta do mundo e da vida (em todos os seus aspectos) se tornou um clássico infantil essencial para qualquer apreciador da literatura nacional. O livro adveio das experiências pessoais e difíceis do autor na infância (daí o protagonista Zezé, apelido de José, nome do escritor?), sendo escrito em apenas doze dias, apesar do próprio já ter afirmado em algumas entrevistas que o enredo já se encontrava dentro de sua cabeça há vários anos.

A narrativa, em primeira pessoa, nos apresenta um menino de cinco anos pertencente a uma família pobre, numerosa e um pouco desestruturada. O pai era desempregado e a mãe trabalhava incansavelmente numa fabrica para sustentar a casa. Os muitos irmãos mais velhos deviam cuidar dos mais novos. Zezé cuidava do irmãozinho Luís, a quem dava a alcunha de “Rei Luís”. Haviam ainda as irmãs Glória (Godóia) e Jandira, e o irmão Totoca. O menino, muito arteiro, acaba se transformando numa espécie de bode expiatório das frustrações pessoais dos parentes, passando a fugir dos perrengues cotidianos e da brutalidade com que era tratado (recebia muitas surras, por vezes cruéis), indo para um mundo fantástico criado pela sua fértil imaginação.

A família logo se vê obrigada a mudar de casa pelas dificuldades financeiras. No quintal da nova moradia, Zezé encontra um bem pequeno pé de laranja lima, com quem passa a conviver e desabafar abertamente seus problemas do dia a dia. Com o tempo, o menino percebe que o pezinho é capaz de conversar com ele, tornando-se seu grande conselheiro, confidente e amigo, recebendo o nome de Minguinho. A vida acaba trazendo outro amigo para Zezé, talvez o mais importante: o velho português Manuel Valadares, o solitário Portuga. Depois de sofrer traquinagens do garoto, ele acaba por criar um vinculo muito forte com o pequeno, que vai se estreitando ao ponto de transformá-lo na figura paterna mais completa e amorosa que tanto fazia falta na realidade de Zezé.

A linguagem empregada é dotada de simplicidade e lirismo. Os capítulos são curtos e atrativos, dando um ritmo mais rápido e corrido à leitura da obra, perfeita para os leitores iniciantes. O livro já foi traduzido para 32 idiomas e publicado em outros 19 países além do Brasil, sendo leitura curricular em algumas escolas.

Trata-se de um trabalho belo e mágico, mas também triste, mostrando o valor das coisas simples e retratando de maneira sensível (e verdadeira) a perda forçada da inocência, além do encontro com a parte mais sombria da vida. Zezé representa o universo infantil, descomplicado, sincero, transitante entre o real e o imaginário, com o qual sempre podemos aprender.

____________________________________________________________

Referências Utilizadas:

VASCONCELOS, J.M. Meu pé de laranja lima. São Paulo, 101ª edição: Melhoramentos, 2007.
ISBN: 9788506042069

CRUZ, J. L. S. O meu pé de laranja lima: do broto ao fruto – a recepção da obra de José Mauro de Vasconcelos por diferentes gerações. Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2007. (Dissertação para Mestrado – UEM / CCHLA, 2007)

____________________________________________________________

Filmoteca: Meu Pé de Laranja Lima (1970). Filme dirigido por Aurélio Teixeira, com o próprio e Júlio César Cruz. // Meu Pé de Laranja Lima (2012). Filme dirigido por Marcos Bernstein, com José de Abreu, Caco Ciocler e João Guilherme Ávila.

O livro já teve diversas adaptações para o teatro e televisão, além das duas para o cinema. O primeiro longa-metragem, a meu ver bem mais marcante que o segundo, não tira o mérito do remake, que traz até a figura do autor José Mauro de Vasconcelos nos seus primeiros minutos. Destaque para a primorosa atuação dos meninos que fazem o papel do Zezé em ambos.

____________________________________________________________

Musicoteca: Mallu Magalhães (2008). Disco de Mallu Magalhães.

Indico aos leitores a delicada voz de Mallu Magalhães para acompanhar a leitura do livro. Seu disco homônimo, repleto de melodias sensíveis e letras de tom simplista, muito combina com a atmosfera criada por José Mauro de Vasconcelos para a narrativa do pequeno Zezé.

Anúncios
Deixe um comentário

4 Comentários

  1. Que delícia!

    Resposta
  1. #34 mallu magalhães | 1001 DISCOS BRASILEIROS PARA OUVIR ANTES DE MORRER
  2. Listeratura: Amizades na Ficção | 1001 Livros Brasileiros Para Ler Antes de Morrer

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: